Como lidar com o primeiro dia de escola?
04/02/2019

São os pais os grandes responsáveis pela adaptação da criança ao início de um novo ciclo, seja encarar a volta às aulas ou o ingresso na nova escolinha. 

No entanto, nem sempre é fácil e toda a família deve estar envolvida já que é possível que a criança tenha mudanças de comportamento. 

Para pais e mães, esse é sempre um momento delicado e gerador de uma enorme dorzinha no coração. 

No primeiro dia de escola, é possível tornar a adaptação menos dolorosa, tanto para as crianças quanto para os pais.

Antes de tudo, é importante não esconder nada. Envolva seu filho! Explique que ele vai para a escola a partir de um determinado dia, que você vai levá-lo, vai buscá-lo e que o acompanhará no início. 

Fale dos novos amiguinhos que vai fazer, da professora, de como é a escola e o que acontece por lá. Mas é importante não exagerar! Mantenha uma conversa saudável e diga sempre a verdade, para que não ocorra situações de frustração.

Levar a criança para a compra dos materias é um bom método de preparação. A criança ficará mais estimulada em escolher esse lápis ou aquele. 

A preparação dos pais: Os corações dos papais e mamães ficam apertados e apreensivos por ter que deixar nossos filhos na escola, principalmente se são ainda muito pequenos. 

Uma ótima dica é diminuir essa angústia de saber se seu filho está bem, está se alimentando direitinho, se está sendo atendido quanto as suas necessidades, é manter sua cabeça ocupada.Um almoço, uma conversa, um passeio ao shoppinng. Alguma distração que pode lhe oferecer um pouco mais de conforto.

Mantenha o equilíbrio e lide com as emoções: As primeiras semanas de adaptação deixarão a criança mais sensível. A mudança pode trazer insegurança, medo, frustração, irritação, muitas vezes traduzidos pelo choro.

Apesar de para os pais ser muito difícil ver os filhos passando por esse processo, aprender a lidar com essas emoções é uma etapa importante do desenvolvimento. Evitar que seu filho passe por esse processo só o deixará frágil, sendo assim, é necessário que se mantenha a firmeza.

Fale sobre coisas positivas: “Do que você brincou?”, “Lá que você vai fazer amigos, desenhar” e não sobre o lado mais ‘duro’ do período: “Vamos ficar só um pouco separados”, “É onde você vai aprender” ou, muito pior, “Você precisa ficar para aprender e a mamãe, trabalhar”.


Rotina adaptada: Os primeiros dias na escola ou a volta as aulas muda completamente o dia a dia da criança. Depois de semanas fora da rotina, sem hora marcada para nada e nenhuma atividade a ser feita, a não ser brincar e se divertir, chega o momento de colocar o relógio dos pequenos para funcionar.

Adotar uma rotina é fundamental para a criança aprender a se organizar durante o dia e a semana, e isso a deixa mais tranquila. Do contrário, a criança fica insegura e ansiosa por não saber o que vai acontecer.

Comece a mudar os hábitos uma semana antes do início das aulas, para uma readaptação progressiva. Converse e esclareça a situação e as regras que passarão a ser postas em prática, como a alteração da hora de comer e dormir e a atribuição de algumas tarefas a fim de reduzir o tempo que elas passam brincando.

No entanto, todos devem contribuir! Não adianta colocar a criança na cama e o restante da casa continuar na maior animação. Desacelerar em conjunto, nesses casos, é a melhor solução. Até porque os adultos também terão de se adequar à nova realidade.

A primeira vez do bebê: Primeiro dia no berçário. Não podemos afirmar que a adaptação será mais fácil. Até completar 9 meses, o bebê guarda as informações na mente por meio de registros emocionais e caso ele passe por uma experiência pouco tranquila e prazerosa, pode fazer com que ele tema ter contato com a escola por um tempo.

Portanto, para evitar problemas, você precisa estar disponível para passar essa fase ao lado dele. Uma boa dica seria deixá-lo levar algo seu para que tenha mais conforto. Como por exemplo uma manta ou algum brinquedo que lembre o cheiro do seu quarto.

Quando for se depedir, entregue-o a professora com um beijo, não enrole muito, pois os bebês também sentem nossa insegurança. Com o tempo, você se sentirá mais tranquilo e assumirá essa função com mais segurança.